sábado, 26 de dezembro de 2015

Parabéns CARECA !

Hoje nossos abraços são para o nosso amigo CARECA.
Nosso capitão.
 Que desde criança já era Arsenal.
 


Feliz aniversário e muitos anos bem vividos.
Esse é o desejo de todos que fazem o ARSENAL SPORT CLUB.

Fotos e postagem : Maninho Palhano.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Eleição no ARSENAL !

Marcada a data da eleição do ARSENAL SPORT CLUB.
Postagem: Maninho Palhano.

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Homenagem a Carlos Jorge !!!

Com a devida permissão .....a Carlos Jorge...






 Carlos Jorge (in memorian) e Sônia Gurgel sua amada.

14 DE SETEMBRO DE 2015

DOIS ANOS SEM CARLOS JORGE

COMPARTILHO COM MEUS AMIGOS A

HOMENAGEM QUE PRESTEI NA SUA MISSA DE SÉTIMO DIA:

Um dia, na cidade onde nasci e morei, São José de Mipibu, conheci um rapaz que chamou a minha atenção: era alto, bonitão e muito educado... De onde veio? Onde mora?! - Indaguei a minhas amigas e uma delas me respondeu: não sei, só sei que tem fama de namorador... até namora uma moça daqui.

Meses depois, eu estava despachando miudezas no Armarinho do meu pai quando aquele rapaz se aproximou e se encostou no balcão, perguntei o que desejava e ele disse que eu podia atender os outros fregueses primeiro. Feito isso, voltei a ele que me perguntou se eu tinha cordas de violão pra vender. Respondi que sim e lhe entreguei a caixa para que escolhesse aquelas que precisasse. Escolheu algumas, pagou, mas não saiu da loja. Ficou a me observar, quase me deixando sem jeito!...

À noite, mandou um amigo me perguntar se eu aceitava conversar com ele e eu disse que não. – Mas por quê? É um rapaz tão bom! – afirmou o amigo. - Respondi: é que eu não sei de onde ele veio e minha família já sabe que é um boêmio, experiente, vive cantando, faz serenatas e ainda, é jogador profissional de futebol de poeira. Eles o acham muito velho pra mim: eu tinha 15 (quinze) e ele 23 (vinte e três) anos... e o pior, “não leva nada a sério!” – minha família temia que eu sofresse!!!

Insistente, mandou vários recados até que aceitei conversar. Sério, me disse que não jogava mais profissionalmente, pois estudava e trabalhava num Banco, era de boa família, filho de militar, não tinha namorada e desejava desfazer a má impressão minha e da minha família, pois a sua intenção era casar. De fato, quatro meses depois veio o noivado, mas o casamento só aconteceu quase cinco anos depois. Casamos em 24 de fevereiro de 1973 e desta união nasceram os nossos amados filhos: Carla Simone, Carlos Sérgio e Jorge Neto - todos casados!

Nossa vida transcorria normalmente, até que no ano de 2002, CARLOS foi vitimado por um derrame cerebral de base de crânio. Orei para que Deus me deixasse o marido do jeito que fosse que eu cuidaria muito bem dele. E DEUS ME ATENDEU!!! – não morreu, mas, ficou com sequelado , ou seja, preso a uma cadeira de rodas por mais de 11(onze) anos, tornando-se dependente da companhia de outras pessoas.

Mesmo assim, nunca reclamou da sorte, nem blasfemou contra Deus! Pelo contrário, fazia até brincadeira de suas próprias debilidades. Quase mudo, passou a escutar mais e a surpreender também, pois de uma hora pra outra começou a falar e a revelar tudo o que ouvira dentro de casa, assustando a todos e “rindo pra se acabar”... Era um brincalhão, um eterno menino! Definido numa só palavra: ALEGRIA foi o seu nome e o que mais vivenciou. Foi feliz! Me fez feliz e fez muita gente feliz, enfim, todos que dele se aproximavam e com ele conviviam!

Nosso casamento se abalou no último sábado, dia 14 de setembro, pela sua morte repentina ao fazer o que mais gostava: comer. É que enquanto jantava, broncoaspirou! Sua morte tão rápida quanto agonizante deixou-me perplexa!!! Roguei a Deus que intercedesse, mais uma vez!

Pois bem amigos e familiares, desta vez prevaleceu a vontade do Pai. Cumpriram-se os dias de CARLOS aqui na terra e eu precisava deixar o meu egoísmo em querer mantê-lo junto a mim. Isso só traria mais sofrimentos a ele... Deus em sua infinita sabedoria, levou de volta um de seus filhos mais amados! - vá em paz CARLOS!!! - você cumpriu a mais digna missão que lhe foi confiada: formou uma família linda, amada, cristã e humanizada!

CARLOS, você foi um dos maiores presentes que Deus me deu! Um anjo, um protetor, pois, mesmo doente e sem forças fazia de tudo para ser útil, colaborando na medida de suas limitações... a sua beleza interior superou, em muito, a beleza física de que era dotado e a nada se compara! Carlos, você viveu a palavra sagrada quando diz: “QUE O MEU CANSAÇO AOS OUTROS DESCANSE”.

Amigos, CARLOS se foi porque O MUNDO é apenas uma passagem. Os anjos precisam ficar perto de Deus!!! Mas enquanto esteve aqui soube amar, ser carinhoso, perseverante, guerreiro, honesto e trabalhador. A bondade do seu coração foi a maior graça de sua vida.

Não fomos nós que o perdemos, e sim, o céu que o ganhou! É duro, mas é a verdade!

A saudade é grande. Maior é minha gratidão a Deus por ter conhecido um homem tão virtuoso, um HOMEM DE DEUS... que levou as cordas do meu coração para tocar para Jesus no céu!

Neste momento, por seu bom humor e alegria perenes, deve está fazendo rir outros anjos no céu. Eu e minha família temos apenas agradecimentos para externar a Deus por tudo isso e muito mais que fez por nós! Sei que não devo chorar, mas pensar nos momentos felizes que passamos juntos e no que juntos construímos!!!

O amor foi tudo que nos deixou de lição!!! A sua alegria, o seu maior legado!!!

OBRIGADA MEU DEUS!!! MUITO OBRIGADA A TODOS!!!!! BOA NOITE!!!
Sônia Gurgel 

 Os Amigos Tarcísio Palhano, Dom Canindé Palhano e Carlos Jorge.


José Hilton e Carlos Jorge


CARLOS JORGE DA SILVA

Nasceu em Barra de São Miguel/AL no dia 20/11/1944 e faleceu em 14/09/2013.
Muito cedo, nos anos 60 já era jogador profissional de futebol, tendo defendido o CRB Alagoano, Botafogo Paraibano e Alecrim Potiguar.
Seu Pai era Major do Exercito e foi transferido para Natal tendo casualmente visitado e se encantado pela nossa querida cidade, então resolveu morar aqui e sempre que possível, Carlos Jorge visitava seus pais e como era muito extrovertido fez imediatamente varias amizades.
Quando o Alecrim se interessou pelo seu passe, ele de imediato aceitou, pois só assim ficaria mais próximo de seus pais. Sua estreia foi diante do ABC e em um lance que ficou marcado nesse jogo foi que Alberi, ídolo da torcida adversária, subiu para cabecear e Carlos Jorge também subiu, mas ao invés de procurar a bola, deu-lhe uma cutucada que gerou uma reação e grande confusão, resultado: os dois foram expulsos de campo.
Quando seu compromisso com o Alecrim permitia ele jogava pelo Arsenal de Moiza, como ele dizia.
Em uma de suas vindas a São José, conheceu aquela que viria a se tornar sua esposa: Maria Sonia Gurgel, que acrescentou da Silva ao final do nome, após o casamento e tiveram tres filhos: Carla Simone, Carlos Sérgio e Jorge Martiniano Neto.
Carlos Jorge abandonou o futebol profissional e continuou a jogar apenas como amador pelo Arsenal, pois tinha grande afeição pelo seu Presidente, Moizaniel de Carvalho e conseguiu um emprego no Bandern, hoje extinto, chegando a ser gerente, inclusive em uma Agência em São Paulo/SP.
Mesmo com suas funções como bancário, sempre encontrava tempo para estudar conseguindo se formar em Direito pela UFRN, porém nunca advogou, pois seu sonho era outro: ser Juiz de Direito, sonho esse realizado tendo assumido algumas comarcas aqui no RN, sendo a última em Umarizal, quando adoeceu e após vários exames, foi obrigado a se aposentar.

( escrito por seu cunhado José Hilton )

Postagem : Maninho Palhano
Fonte: Facebook da Família Gurgel.

Obs. Não poderia deixar de compartilhar com os de leitores de nosso blog, esta riqueza de  ser família.